Plano de Reposta a Emergências em Acidentes e Incidentes - Telefone 24 horas

Fonte

Atenção! Os telefones abaixo devem ser usados exclusivamente por tripulantes envolvidos em acidentes ou incidentes aeronáuticos graves.

+55 11 5531-0318 | +55 11 99958-3153 (24 horas)

 

Instruções aos membros de tripulação envolvida em ocorrência aeronáutica

 

As recomendações abaixo estão baseadas nas publicações da Ifalpa e têm como objetivo a proteção dos tripulantes envolvidos em acidente aeronáutico ou incidente grave. As legislações nacionais obrigam os envolvidos a comunicar qualquer acidente ou incidente grave de que tenham conhecimento, assim como a prestar toda a colaboração possível com as autoridades aeronáuticas e outras.

Qualquer associado que esteja envolvido em um acidente ou incidente grave deverá:

  1. Cuidar das necessidades físicas dos passageiros (se houver) e do restante da tripulação. Reunir a tripulação e mantê-la unida e coordenada. Requerer um local para descanso e pedir que não sejam perturbados por um tempo razoável.
  2. Entrar em contato com o SNA através do telefone de emergência (+55 11 5531 0318). Em caso de não se conseguir contato através deste número, ligar para o telefone (+55 11 99958 3153) para a notificação. Ter em mente que quando o SNA recebe uma chamada de emergência há o acionamento de uma série de pessoas com o único objetivo de ajudar e assessorar a tripulação na medida do possível.
  3. Notificar as autoridades e companhia aérea (se for o caso)

c1. No caso de ocorrências envolvendo empresas de transporte regular de passageiros (RBAC 121), a empresa aérea é responsável pela comunicação da ocorrência às autoridades aeronáuticas.

  1. Não fazer declarações de nenhum tipo (nem comentários informais) com nenhuma pessoa, mesmo familiares. As declarações oficiais às autoridades devem ser feitas, preferencialmente, após recuperados, tanto fisicamente como psicologicamente, do trauma sofrido. Em qualquer declaração que se vá realizar, evitar todo os tipos de conjecturas ou detalhes confusos. Escutar bem as perguntas e falar somente quando questionado. NUNCA fazer qualquer declaração ou dar entrevista diretamente aos meios de comunicação.
  2. Não entregar sua licença de voo a ninguém. Deve-se apresentá-la às autoridades e estas podem fazer cópias, mas nunca retê-las. Não existe obrigação legal de entregá-las.
  3. Recolher toda informação do voo que seja possível (cópias da documentação, planos de voo, diário de bordo, NOTAM´s, diários de reporte à manutenção etc.).
  4. Anotar tudo sobre o ocorrido e mostrar somente à pessoa designada para atender o caso. Ter em mente que essas anotações podem ser usadas em um processo judicial, por isso a importância de anotar tudo e manter seguro.
  5. Mostrar sempre uma atitude de cooperação e não se negar nunca a realizar qualquer exame de alcoolemia ou toxicológico quando requerido. Não se deve consumir álcool até haver realizado o exame toxicológico.
  6. Em caso de avisar a família, não dar detalhes, não convidá-los a se dirigir ao lugar do ocorrido e avisar que não façam nenhum tipo de declaração a nenhum pessoa, especialmente aos meios de comunicação. Se necessitarem de assistência, o SNA enviará um representante.
  7. No caso de acidente ou incidente no exterior, lembrar que sempre estamos sujeitos às leis do país em que nos encontramos, pelas quais poderemos ser interrogados ou retidos pelas autoridades locais, mas nunca antes de ter tido um descanso, ser atendido por um médico que certifique nosso estado e receber assessoramento jurídico.
  8. Se necessitar de algum tipo de assistência adicional, podemos contatar a embaixada brasileira no país correspondente.
  9. Normalmente, a companhia aérea comunicará oficialmente o acidente ou incidente às autoridades pertinentes, mas em alguns estados é requerido que a notificação seja feita diretamente pelo piloto.

 

Clique aqui para ver um exemplo

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS