Dezenas de copilotos da Latam compareceram nesta segunda-feira (8) à subsede São Paulo do SNA buscando apoio para a reversão da contratação por parte da empresa de, inicialmente, oito copilotos diretamente para o B767, preterindo desta forma  mais de 850 copilotos da companhia, alguns com quase dez anos de casa.

Diante da reivindicação, o SNA informa que irá convocar assembleia para a sexta-feira (12) para discutir com o grupo encaminhamentos sobre o assunto. O edital com horários e locais será publicado em breve em todos os meios de comunicação do sindicato. 

Os copilotos demonstraram sua insatisfação com esta ação unilateral da empresa e pleiteiam, além da reversão imediata do processo, que seja dada a oportunidade de promoção para todos os copilotos da empresa antes de haver qualquer tipo de contratação externa. 

Esta medida da empresa atinge fortemente o moral dos aeronautas que vêm há anos dedicando-se à empresa e que, no momento de serem prestigiados com a ascensão a um equipamento e remuneração melhores, têm esta expectativa frustrada pela empresa. 

A diretoria do SNA e os copilotos da Latam repudiam esta atitude da empresa e solicitam a reversão imediata destas contratações para que possa ser respeitada a lista de antiguidade dos copilotos para as promoções de equipamento.

A participação de todos os pilotos da Latam é essencial na assembleia de sexta-feira.

Venha conhecer mais de perto o trabalho do SNA. Participem conosco desta história.

Dando prosseguimento na busca de regularização dos contratos de trabalho dos instrutores de voo, o Sindicato Nacional dos Aeronautas finalizou no último dia 19 de dezembro um ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) para os instrutores de voo da Fly Eagle Escola de Aviação Civil (Maringá-PR), após aprovação dos termos pelos trabalhadores em assembleia.

O acordo, que reafirma a condição desses profissionais de aviação na categoria de aeronautas, prevê, entre outras coisas:

- Remuneração mínima fixa e adicional por hora;
- Adicional noturno e de periculosidade;
- Vale alimentação;
- Seguro de vida;
- Limites de jornada de trabalho e de horas de voo;
- Possibilidade de contratação em tempo parcial, respeitando-se a proporcionalidade com os contratos em tempo integral;
- Repouso mínimo e garantia mínima de oito folgas mensais;
- Garantia de emprego aos acidentados;
- Custeio de revalidações de CMA e CHT;
- Auxilio transporte aos para os instrutores não optantes pelo vale-transporte.

O SNA ressalta que continuará trabalhando para a regularização de todos os aeroclubes e escolas de aviação do Brasil.

Confira a lista de aeroclubes e escolas que valorizam instrutores, e já regularizaram os contratos de trabalho de seus instrutores e que o SNA recomenda: https://goo.gl/9G64Dg.

Lembramos por fim que os aeronautas podem e devem denunciar quaisquer irregularidades por meio do e-mail do Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Contamos com a participação de todos.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas enviou ofício às empresas da aviação comercial informando e pedindo adequações sobre as novas orientações da Anac sobre a aplicação dos testes toxicológicos do tipo aleatório ―a agência reforçou que não é permitido o uso da matriz queratina, reiterando uma reivindicação do SNA.

No último dia 21 de dezembro, a Anac publicou alterações na Instrução Suplementar 120-002, que contém orientações gerais para o RBAC 120, que trata do ETPS (Exame Toxicológico de Substâncias Psicoativas). As mudanças esclarecem e limitam o uso do exame de janela longa de queratina no Programa de Prevenção do Risco Associado ao Uso Indevido de Substâncias Psicoativas na Aviação Civil, implementado pelas empresas aéreas.

As companhias Latam e Azul precisam se adequar às novas orientações da Anac, já que ainda usam a queratina nos exames aleatórios. Gol e Avianca estão dentro das regras.

Destacamos que o SNA defende a aplicação do ETPS como forma de garantir a segurança de voo. Porém o sindicato entende que o regulamento tem por finalidade verificar se o funcionário está sob influência de substância psicoativa no exercício da atividade laboral, e não aferir um padrão de consumo ―algo que violaria o direito constitucional à privacidade.

Neste sentido, o os testes ideais para se atingir o objetivo são o etilômetro (bafômetro) e o teste de saliva. Na ausência deste, o teste de urina. Estes testes podem aferir o “uso recente” de substâncias proibidas, conforme pede o RBAC 120.

O teste com uso da matriz queratina (fio de cabelo) avalia o uso retroativo de substâncias psicoativas em até 180 dias, mas não verifica se o tripulante está sob efeito de uma substancia psicoativa no momento.

O SNA espera que todas as empresas estejam adequadas às novas orientações da Anac o mais breve possível.

O departamento jurídico do SNA está disponível para eventuais dúvidas dos aeronautas por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou do telefone (11) 5531-0318 (ramal 21).

 

O SNA informa que, em virtude de problemas técnicos na região, a subsede São Paulo está temporariamente sem linha telefônica, com previsão de normalização em até 48 horas. Durante este período, solicitamos que os contatos sejam feitos através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., para que sejam direcionados aos departamentos responsáveis, ou diretamente através dos e-mails abaixo:

 

Cadastro

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Assistente Social

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Safety

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Regulamentação

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Jurídico

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Saúde

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

SINDICATO NACIONAL DOS AERONAUTAS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

 

O Presidente do SINDICATO NACIONAL DOS AERONAUTAS, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo disposto no art. 22, “a” do estatuto da entidade sindical e observados os demais requisitos estatutários e legais, em especial o previsto no art. 20, “b”, do estatuto sindical supracitado, convoca todos os instrutores e ex instrutores de voo da Voe Cachoeira / Born To Fly, Escola de Aviação Civil, para Assembleia Geral Extraordinária que será realizada no dia 04 de janeiro de 2018, às 13:00 horas em primeira convocação, e às 13:30 horas em segunda e última convocação, no seguinte local: Representação do SNA em Porto Alegre, localizado na Avenida dos Estados, nº 1825, Loja 06, Bairro Anchieta, Porto Alegre/RS, CEP 90200-001, para dispor sobre a seguinte ordem do dia: deliberação da proposta de Acordo Coletivo de Trabalho e da proposta de acordo nos autos do processo 0021195-64.2017.5.04.0016, que tramita na 16ª Vara do Trabalho de Porto Alegre.

 

Rio de Janeiro, 28 de dezembro de 2017.

Rodrigo Spader
Presidente

 

O Sindicato Nacional dos Aeronautas esteve reunido na quarta-feira (27) com a diretoria da Gol Linhas Aéreas para tratar de temas como a remuneração dos copilotos, plano de carreira e diversas outras questões de interesse dos tripulantes.

Sobre a questão do realinhamento da política de remuneração dos copilotos, a empresa se comprometeu a apresentar possibilidades e alternativas para a questão em reunião agendada para o dia 17 de janeiro.

A reivindicação de adequação dos salários partiu do próprio grupo de copilotos da empresa, que pede para receber pelo menos 70% dos vencimentos recebidos pelos comandantes. Hoje, a média na empresa é a proporção de 50%, abaixo do que se pratica mundialmente — também são pedidas alternativas para a falta de perspectivas de promoção.

A construção de um plano de carreira, que abarcaria as três funções (comandantes, copilotos e comissários), está sendo estudada pela empresa em conjunto com o SNA. Dentro deste plano, existe inclusive a possibilidade do chamado "part time", em que o tripulante pode escolher, dentro de regras pré-estabelecidas, trabalhar em períodos parciais. Por ora, essa questão está sendo estudada para o grupo de comandantes.

Outro tema discutido foi o pagamento do tempo de solo entre etapas de uma mesma jornada e da remuneração de simulador, previstos na Nova Lei do Aeronauta mas que foram postergados pela CCT e entram em vigor no dia 1º de março de 2018. A empresa se comprometeu a na próxima reunião trazer propostas para discussão.

Entre outros temas tratados também estavam: diferença de remuneração em diferentes bases; ajustes na política de reembolso do CMA e melhoras no Passe Livre para companhias congêneres.

Fiquem atentos aos nossos meios de comunicação para o desenrolar das discussões sobre cada tema.

A 59ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro liberou os alvarás para o pagamento de verbas relativas ao FGTS a tripulantes dispensados pela empresa Atlas Táxi Aéreo a partir de dezembro de 2017, após deferimento do pedido feito pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas em ação coletiva contra a empresa.

Aqueles que informaram seus dados ao SNA, conforme solicitado, irão receber os alvarás no endereço de e-mail usado para o contato com o sindicato ou podem retirar pessoalmente nas sedes do SNA em São Paulo e no Rio de Janeiro — ou então podem informar um e-mail para recebimento enviando mensagens para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Histórico

Em agosto de 2017, após dispensar os aeronautas, a empresa alegou em audiência de mediação na procuradoria do trabalho do Município de Cabo Frio-RJ que não teria condições de arcar com as verbas rescisórias ―solicitou a homologação sem o pagamento de todas as verbas. 

Ao término da audiência, ficou acertado que o SNA entraria com processo para liberação do FGTS e seguro desemprego desses funcionários, que estavam desamparados pela empresa desde agosto de 2016, sem receber suas verbas rescisórias. 

Ainda em agosto de 2017, foi realizada uma assembleia, com a presença de muitos aeronautas da empresa. O advogado do SNA deu todas as explicações de como seria a ação para antecipação desses recursos e informou também o sindicato entraria com uma outra ação para pleitear reparação para as demais irregularidades. 

Após ter entrado com a ação no MPT do Rio de Janeiro, no início de setembro, o SNA esteve praticamente todas as semanas despachando com a juíza da 59ª Vara do Trabalho, tentando acelerar o processo, sempre explicando a situação precária daqueles trabalhadores, além da dificuldade de conseguir as documentações junto à empresa, para dar continuidade ao processo. 

Foram muitos dias de trabalho intenso para, nesta data, os aeronautas terem a notícia de que finalmente os alvarás foram expedidos.

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para o esclarecimento de dúvidas por meio do telefone (21) 3916-3800.

CLIQUE AQUI PARA VER O ALVARÁ: http://www.aeronautas.org.br/images/Alvara_Atlas_FGTS.pdf

Em um texto publicado em seu site, o British Air Line Pilots Association (sindicato britânicos dos pilotos de linha aérea) fez uma alerta sobre a prática de fazer fotos e filmes por pilotos no cockpit, o que pode afetar a segurança de voo e ainda pode servir eventualmente como prova contra os próprios pilotos. Confira abaixo.

*****************

Don’t put yourself in the frame

There’s nothing more impressive than saying to your kids “look here’s a video of Daddy/Mummy landing their aeroplane”. This often works quite well with slightly older people as well apparently, but do you know how vulnerable you are leaving yourself when you introduce your personal camera into the cockpit? Firstly, you could be introducing a flight safety hazard; the Daily Mail reported earlier this year on an incident where 33 passengers were injured after a pilot’s personal camera interfered with the controls and caused a rapid descent. Secondly, you may be contravening company rules – that won’t be a pleasant phone call. Finally, and really importantly, you may find any images you take (or are taken of you) being used against you or your colleagues in the event of something going wrong. In a recent fatal accident investigation the police asked for all AAIB material to be released to them but a judge opined that nothing could be released as that could prove detrimental to future flight safety reporting. Nothing, that is, except for the personal video camera that the pilot had installed to film his flying. That’s gold dust to some people.

Of course you may find that your “David Bailey/Spielberg” worshiping colleague posts his imagery on social media and some eagle eyed member of the public may just notice something that you appear to have missed. Even if nothing is actually amiss this could generate some undesirable attention and remember, these pictures and videos will be there forever. So the next time you are tempted to capture the amazing sights that this job exposes us to, or your fellow aviator says “it’s OK to take some pictures/take a video isn’t it?” can we suggest that you think very carefully about all the possible ramifications. As we begin to see aircraft being delivered from factories with cameras fitted as standard we need to make sure any images from the “office” are dealt with in a sensible, legal and agreed way, and we need your help to make sure that happens.

Fonte: http://balpa.newsweaver.com/flightsafetyupdate/vgj6hoh70tj