Aerus: SNA e grupo de aposentados foram decisivos

Fonte

A aprovação do PLN 31/2014, projeto de lei que libera R$ 248 milhões em créditos orçamentários para o pagamento de dívidas de aposentadoria e de pensões do Instituto Aerus de Seguridade Social, foi uma vitória importante dos aposentados e pensionistas das extintas empresas Varig e Transbrasil. Porém dificilmente isso seria possível sem a persistência e a coragem de um grupo de cerca de 30 pessoas que fizeram do Congresso Nacional literalmente a “casa do povo” nas últimas duas semanas.

Com o objetivo de dar a visibilidade necessária à matéria e de fazer uma aproximação com parlamentares, o grupo de aposentados acampou desde o dia 17 de novembro até a tarde de 3 de dezembro no Salão Verde da Câmara dos Deputados.

O esforço valeu a pena. A aprovação vai permitir que seja cumprida sentença judicial de ação movida contra a União pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas e pela Associação dos Funcionários Aposentados e Pensionistas da Transbrasil, que determinou o pagamento da complementação das aposentadorias e pensões suspensos após a liquidação da Varig e da Transbrasil — antes, no entanto, o projeto vai para a sanção presidencial, com prazo de 15 dias para análise.

Cerca de 10 mil aposentados podem ser beneficiados pelos pagamentos, que nos últimos anos estavam limitados a 8% do valor originalmente previsto.

A decisão chega após cerca de uma década de luta pelo restabelecimento dos pagamentos (clique aqui para ver histórico). Nesse período, calcula-se que mais de 1,2 mil aposentados morreram sem ver solução.

A verba, porém, não é suficiente para o pagamento de tudo a que os aposentados têm direito. Para que isso seja possível, ainda é necessário que seja aprovado provimento na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2015.

“Essa foi uma grande vitória, mas a luta continua até que todos os direitos estejam garantidos”, diz o comandante Zoroastro, diretor de Assuntos Previdenciários do SNA e um dos líderes do grupo que acampou na Câmara.

"Em casa"

A decisão de acampar no Salão Verde da Câmara não foi inédita para o grupo de aposentados — essa foi a terceira vez em que usaram esse recurso para chamar a atenção para seu grave problema. E o sacrifício não é pequeno, especialmente para pessoas com mais idade.

Decano do grupo, o comandante Zoroastro, 84, conta que a rotina foi dura. “Não podíamos vir com mala, então tínhamos pouca roupa. Para dormir, tirávamos as almofadas das poltronas e as colocávamos no chão. Às 6h da manhã, o rapaz acendia todas as luzes, chegava o pessoal da limpeza”, afirma.

Muitos dormiam sobre o carpete, e o banho era tomado nos banheiros dos funcionários. Mas em meio às dificuldades, chegaram a montar uma pequena árvore de Natal, decorada com bolas coloridas e bilhetes pedindo justiça e dignidade.

“Houve muita união. Agradecemos aos colegas que se dispuseram e se sacrificaram ficando 17 dias privados de sua vida individual em prol dos 10 mil participantes do Aerus. Agradecemos também aos deputados e senadores”, ressalta Zoroastro.

O senador Paulo Paim (PT-RS) reconheceu a importância da atitude dos aposentados de ocupar espaço na Câmara. “Esses jovens de cabelos prateados dão o exemplo de que é importante acreditar, lutar e fazer acontecer. Mais vale um gesto concreto do que mil discursos. Estão demonstrando qual é o caminho da vitória: participação popular dentro do Congresso”, diz Paim. “Os movimentos sociais, se eles se articulam, são uma mola de pressão muito forte. Com gestos como esse, a população pode se fazer enxergar e dizer: ‘Não vou só colocar o piano no salão, vou também tocar’”, conclui.

aerus

Crédito da foto: Agência Senado

Com a Agência Câmara e a Agência Senado

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS