Em tratativas do SNA com a Latam Linhas Aéreas, ficou definido que o valor da comissão de vendas a bordo não impactará no recebimento do vale alimentação. 
 
Assim, a partir do dia 20 de julho, o valor dessa comissão não será computado no holerite para fins de pagamento do vale alimentação. A medida é uma antiga demanda do grupo e vinha sendo negociada há vários meses. 
 
Na mesma ocasião, ficou definido que os tripulantes tenham a liberação para aguardar dentro do ônibus de translado CGH-GRU-CGH, meia hora antes da saída, desde que haja motorista presente, evitando que a tripulação aguarde do lado de fora.  
 
O departamento jurídico do SNA fica à disposição para esclarecimentos pelo telefone (11) 5090-5100, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo Whatsapp 11 95375-0095 (somente para associados).  
 
Associe-se ao SNA
Via Whatsapp: 21 98702-6770
Via app: SNA no Google Play ou Apple Store

 O SNA convoca os tripulantes da Latam Linhas Aéreas para uma reunião no dia 30 de julho, às 14h, na sede do SNA em São Paulo, para tratar sobre as futuras alterações no plano de previdência privada da companhia.
 
A reunião tem o objetivo de debater a proposta e esclarecer possíveis dúvidas dos aeronautas. 
 
O departamento jurídico do SNA fica à disposição para esclarecimentos pelo telefone (11) 5090-5100, pelo e-mail juridico@aeronautas.org.br.

Associe-se ao SNA
Via site: https://tinyurl.com/sna-associe-se
Via Whatsapp: 21 98702-6770
Via app: SNA no Google Play ou Apple Store

Orientações preliminares para os aeronautas que forem convocados para dispensa.

Caso a empresa agende reunião para promover a minha dispensa devo atendê-la?

Sim, é necessário atender à solicitação da empresa para receber o comunicado da dispensa (aviso prévio), que deve ocorrer por via remota em razão da pandemia.

Como será dada a baixa na minha CTPS (Carteira de Trabalho)?

A baixa na CTPS será feita de forma digital. Para tanto, o tripulante deverá utilizar a carteira de trabalho digital.

Eu não tenho a CTPS digital, como baixar?

  1. É preciso fazer o cadastro no portal gov.br, link (https://servicos.mte.gov.br/#/loginfailed/redirect=trabalhador.carteira);
  2. Clique em cadastrar e preencha todos os campos com os seus dados seguindo todo o passo a passo;
  3. Você será direcionado para um questionário com cinco perguntas sobre sua trajetória de trabalho;
  4. Após o cadastro, sua carteira estará disponível no navegador pelo link (https://servicos.mte.gov.br/#/loginfailed/redirect=)

Quais verbas terei direito a receber? 

Na dispensa sem justa causa, via de regra, o aeronauta tem direito a:

  • Saldo de salário (X dias trabalhados);
  • Gratificação (X dias trabalhados);
  • Km diurno, Km noturno, Km dfs diurno, Km dfs noturno, Reserva, Sobreaviso;
  • Aviso prévio indenizado;
  • Férias vencidas com adicional de 1/3 constitucional (se houver);
  • Férias Proporcionais
  • Reflexo do aviso prévio em férias
  • 13º salário proporcional;
  • Reflexo do aviso prévio no 13º salário;
  • PLR;
  • FGTS 8% sobre salário pago na rescisão, aviso prévio e 13º salário proporcional
  • Multa de 40% sobre o saldo do FGTS;
  • Saque do FGTS;
  • Guias para seguro desemprego.

Qual é o prazo que a empresa tem para depositar as minhas verbas rescisórias? 

A empresa tem até 10 dias corridos, contados do dia seguinte ao dia da dispensa.

E se a empresa não respeitar esse prazo?

Nesse caso, além de ter que pagar as verbas rescisórias, terá que pagar uma multa no valor de 30 dias de salário em favor do tripulante.

Quanto tempo tenho para ingressar com uma ação judicial para requerer meus direitos?

O prazo é de até 2 anos, contados da extinção do contrato de trabalho, com possibilidade de requerer direitos relativos aos últimos 5 anos trabalhados. 

O SNA presta toda assistência jurídica sem cobrança de honorários advocatícios de seus associados, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para esclarecimentos pelo telefone 11 5090-5100 ou pelo WhatsApp 11 95375-0095 (somente para associados).

Homologação.

A homologação da rescisão do contrato de trabalho consiste em uma verificação dos documentos relativos ao término de uma relação contratual laboral, para averiguar se houve efetivo cumprimento da lei trabalhista, assim como zelar pelo efetivo pagamento das parcelas devidas.

Após a reforma trabalhista de novembro de 2017, as rescisões contratuais não estão sujeitas a qualquer tipo de homologação como requisito de validade, independentemente do período de duração do vínculo laboral, com exceção das categorias que firmarem norma coletiva sobre a possibilidade de homologação com assistência do sindicato.

Como será realizada minha homologação?

A homologação será realizada por videoconferência em data e hora agendada pelo SNA. A Latam enviará digitalmente toda a documentação ao SNA, que fará a conferência das parcelas e valores.

Assim que recebermos essa documentação, entraremos em contato com o tripulante para agendamento da homologação, que será realizada por meio do Google Meet.

Um homologador treinado fará toda a conferência. Se houver divergência, a empresa será notificada e, se não resolver na hora, serão registradas as ressalvas. 

Após as assinaturas eletrônicas da empresa, do tripulante e do SNA, o tripulante receberá toda a documentação concluída no seu e-mail.

As assinaturas do tripulante e do SNA dão quitação apenas aos valores contidos no TRCT (Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho). Qualquer divergência poderá ser questionada.

A quais documentos devo ter acesso no momento da minha homologação?

A empresa deverá entregar ao aeronauta:

  • TRCT (Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho);
  • Guia de depósito de FGTS;
  • Chave de conectividade para saque do FGTS;
  • Guias para seguro-desemprego;
  • Declaração de horas de voo; 
  • PPP (Perfil profissiográfico previdenciário) necessário para requerer aposentadoria especial;
  • Recibo de devolução de uniforme;
  • Demais documentos relativos à dispensa ou ao contrato de trabalho. 

Assim que recebermos a documentação de rescisão da empresa, entraremos em contato com o ex-colaborador para agendamento da homologação, que será realizado por meio do Google Meet. O homologador treinado prestará todo o suporte referente a demissão.

O sindicato irá fazer toda a conferência e assinar de forma eletrônica, em conjunto com o tripulante, no sistema disponibilizado pela Latam. Após realizadas as assinaturas eletrônicas, o tripulante receberá toda documentação concluída por e-mail.

Caso existam ressalvas constatadas, o aeronauta poderá ingressar com uma ação para requerer o que não foi pago ou as diferenças que entenda devidas.

Para isso, é importante que o aeronauta esteja atento ao prazo legal para o ajuizamento de ação trabalhista, que é de até dois anos após a extinção do contrato de trabalho, com possibilidade de requerer direitos relativos aos últimos cinco anos trabalhados.

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para esclarecimentos pelo telefone 11 5090-5100, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo WhatsApp 11 95375-0095 (somente para associados).

Plano de saúde após extinção do contrato de trabalho.

O tripulante dispensado sem justa causa que tenha contribuído, até outubro de 2015, para o custeio do plano de saúde oferecido pela empresa tem o direito de optar pela manutenção do plano nas mesmas condições de cobertura assistencial de que gozava quando da vigência do contrato de trabalho pelo prazo de 6 a 24 meses, desde que assuma o pagamento integral da mensalidade.

Tripulante aposentado que tenha contribuído para o plano, até outubro de 2015, por um prazo mínimo de 10 anos, tem o direito de optar pela manutenção do plano nas mesmas condições de cobertura assistencial de que gozava quando da vigência do contrato de trabalho por prazo vitalício, desde que assuma o pagamento integral da mensalidade.

Caso o aposentado tenha contribuído para o plano, até outubro de 2015, por menos de 10 anos, tem o direito de optar pela manutenção do plano nas mesmas condições de cobertura assistencial de que gozava quando da vigência do contrato de trabalho pelo mesmo tempo em que ficou vinculado ao plano de saúde da empresa quando empregado (ex.: um ano de trabalho equivale a um ano de manutenção do plano).


O aeronauta deve sempre observar o prazo máximo de 30 dias contados da dispensa sem justa causa para manifestar seu interesse em continuar com o plano.

O direito ao uso do plano é extensivo obrigatoriamente ao grupo familiar que estava inscrito quando da vigência do contrato de trabalho, se assim desejar o aposentado ou o ex-empregado demitido ou aposentado.

No caso de morte do aposentado ou do tripulante dispensado, seus dependentes continuam no plano pelo restante do tempo a que o beneficiário titular tinha direito.

No caso de falência da empresa ou se a empresa rescindir com a operadora do plano de saúde, haverá a extinção do contrato entre a empresa e a seguradora do plano de saúde e, portanto, não será possível a manutenção do plano.

Acesse: Cartilha do plano de saúde da ANS, pelo link  http://www.ans.gov.br/

Seguro-desemprego.

O que é preciso para ter direito ao seguro-desemprego?

  • Ter sido dispensado sem justa causa;
  • Estar desempregado quando do requerimento do benefício
  • Não possuir renda própria de qualquer natureza suficiente à própria manutenção e de sua família;
  • Não estar em gozo de benefício previdenciário de prestação continuada, exceto auxílio-acidente e pensão por morte;
  • Ter recebido salários de pessoa jurídica antes da dispensa.

Além disso, também é necessário:

tabela latam1

Existe prazo para fazer o requerimento?

Sim, a partir do 7º dia e até 120 dias corridos contados da data da dispensa, sob pena de perder o direito.

Onde requerer?

Você poderá dar entrada no seu seguro desemprego on-line. Para isso, basta utilizar o aplicativo da CTPS (Carteira de Trabalho Digital)

Como fazer?

  • Baixe o App Carteira de Trabalho Digital, disponível para Android ou IOS; 
  • Clique em “Benefícios”, para ser direcionado para ao seguro-desemprego; 
  • Utilize o comando “Solicitar” na aba do seguro-desemprego; 
  • Digite o número do Requerimento de seguro-desemprego; 
  • Confirme as informações e clique no comando avançar ao final da tela; 
  • Na tela seguinte, serão apresentadas as informações relativas ao contrato de trabalho encerrado, em que constam número do CNPJ, o cargo declarado pelo empregador, a quantidade de meses trabalhados na empresa, as datas de admissão e dispensa, o motivo da dispensa (sem justa causa) e qual a média dos últimos 3 salários recebidos; 
  • Leia e concorde com as informações antes de clicar em confirmar;
  • O app irá trazer informações sobre o processamento do seu benefício. Caso tenha direito ao seguro, você irá visualizar a quantidade de parcelas, com as respectivas datas de pagamento previstas para saque nos canais de pagamento. 
  • Vale ressaltar que a liberação da primeira parcela ocorre 30 dias após o cadastro da solicitação no sistema.

 tabela latam2

  • Atenção: o período de referência são os últimos 36 meses trabalhados, e qualquer fração igual ou superior a 15 dias de trabalho será considerada como um mês integral.

O benefício pode ser suspenso?

Sim, em caso de novo emprego ou de recebimento de outro benefício previdenciário, exceto auxílio-doença acidentário e pensão por morte.

FGTS (Fundo de Garantia por Tempo De Serviço).

Durante a vigência do contrato de trabalho a empresa deve ter efetuado, mensalmente, depósitos de 8% sobre a remuneração do tripulante. Esses depósitos sofrem atualização (JAM). O extrato de FGTS deve conter tais informações. 

Qual é o valor da multa de FGTS em caso de dispensa sem justa causa?

A multa fundiária a ser paga pelo empregador em favor do empregado é de 40% da totalidade de depósitos efetuados, acrescidos de juros e correção monetária, inclusive sobre os valores sacados.

Como poderei sacar meu FGTS? 

Agora o saque do FGTS, transferência do valor para sua conta pessoal, ocorre 100% on-line, mas é necessário ter acesso ao aplicativo FGTS

Como fazer?

  • Na loja de aplicativos do seu celular, busque por FGTS.
  • Faça o cadastro informando todos os dados solicitados.
  • A senha deve ser numérica, com seis dígitos. Para quem já usava o Aplicativo, pode repetir a senha que usava antes.
  • Depois de incluir seus dados, clique no botão "Não sou um robô".
  • Você irá receber um e-mail de confirmação no endereço de e-mail informado, acesse-o e clique no link que foi enviado. 
  • Após a finalização do cadastro, abra o APP e informe o “CPF” e “Senha” cadastrada. 
  • Após o Login, aparecerá algumas perguntas adicionais sobre a sua vida funcional.
  • Após responder essas perguntas você deve ler e “aceitar as condições” de uso do Aplicativo, clicando em “concordar”.
  • Agora pronto! Você já pode usar o APP FGTS. 

O aplicativo está disponível para todos os trabalhadores nas lojas da plataforma Android e IOS de forma gratuita.

Se eu quiser fazer a solicitação de saque do FGTS, presencialmente, em uma das agências da Caixa Econômica Federal, quais os documentos necessários?

  • RG;
  • CPF;
  • Carteira de trabalho digital;
  • Chave de conectividade recebida no momento da homologação; 
  • Termo de rescisão do contrato de trabalho (TRCT) recebido no momento da homologação; 

Saldo FGTS

Com base na MP nº 927, publicada em 22/03/2020, a Latam optou pela prorrogação do recolhimento do FGTS referente aos meses de março, abril e maio/2020. Porém, havendo rescisão contratual, os depósitos futuros serão realizados no mesmo prazo para pagamento das verbas rescisórias (10 dias).

Renegociação de dívidas.

À luz da boa-fé que norteia qualquer relação interpessoal, sugerimos o diálogo entre credor e devedor para possível composição. Para tanto, disponibilizamos um modelo de requerimento de “renegociação de dívida” e “declaração de situação de desemprego e ausência de renda”.

https://www.aeronautas.org.br/images/Requerimento_de_Renegociacao_de_Divida_Latam.pdf

https://www.aeronautas.org.br/images/Declaracaoo_de_Situacaoo_de_Desemprego_e_Ausencia_de_Renda.pdf

É interessante que as partes cooperem entre si para que obtenham, em tempo razoável, o melhor encaminhamento possível.

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para esclarecimentos pelo telefone (11) 5090-5100, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo Whatsapp 11 11 95375-0095  (somente para associados).

Orientações sobre contratos de locação de imóveis.

O que é o contrato de locação de imóvel? 

O contrato de locação de imóvel é o acordo por meio do qual o proprietário do imóvel cede a terceiro o uso e o gozo do bem, podendo ser por prazo determinado ou indeterminado. 

Um aluguel de imóvel urbano (reservado à moradia, comércio e indústria, em geral delimitado pelo período urbano) possui uma lei própria de uso, Lei nº 8.245/91 (chamada “lei do inquilinato”).  http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8245.htm.

É possível renegociar o valor do aluguel junto ao proprietário em caso de não pagamento? 

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que existem inúmeros projetos de lei que visam impedir a obrigatoriedade de cumprimento dos contratos de locação durante o período pandêmico ou até mesmo a suspensão das ordens de despejo por falta de pagamento, mas, como dito, são apenas projetos e não há qualquer amparo legal capaz de impor tal situação ao proprietário do imóvel. 

Com isso, com base no bom senso, fica a cargo do proprietário e do morador encontrar a melhor saída para a dívida. Portanto, caso você perceba que não conseguirá arcar com o aluguel nos próximos meses, entre em contato com o proprietário o quanto antes para tentar reduzir, adiar, parcelar ou suspender os pagamentos. 

Na ação de despejo, o proprietário pode cobrar também o valor do aluguel em atraso? 

Sim, a ação visa o pagamento dos alugueis vencidos, vincendos (futuros) e a desocupação do imóvel, além das despensas oriundas de processo judicial.

Caso eu deixe voluntariamente o imóvel que está alugando, precisarei pagar algum tipo de multa? 

Neste caso, é importante observar se o contrato prevê multa. Caso exista, o morador pode pedir isenção da penalidade, tendo em vista os efeitos prejudiciais acarretados pela atual crise enfrentada pelo país. 

Caso você tenha dado um valor a título de garantia, este valor pode ser usado para cobrir uma multa rescisória? 

Sim, este valor pode ser usado para cobrir uma multa rescisória, devendo haver um ajuste entre morador e proprietário para definir isso.
 

Para esclarecimentos: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e WhatsApp 95885-0045.

Renegociação de financiamento imobiliário.

Posso solicitar uma análise do meu contrato de financiamento imobiliário ao SNA? 

Sim. O SNA disponibiliza a seus associados auxílio na análise de contrato de financiamento imobiliário. 

Poderei renegociar as condições contratuais de meu financiamento? 

Depende do que está disposto em seu contrato de financiamento. Contudo, o contratante pode alegar que, em razão de fatos alheios, inevitáveis e imprevisíveis (hipótese de caso), não foi possível continuar a cumprir o contrato nas condições pactuadas e, portanto, requerer uma renegociação de condições (como forma, valor periodicidade de pagamento). No entanto, a instituição bancária precisa aceitar. 

Muitos bancos aceitam renegociar dívidas em caso de desemprego involuntário, operando, inclusive, com seguros contra desemprego.

Vale ressaltar que uma renegociação pode ser incluída como um novo contrato, e por esse motivo, recomenda-se que tudo seja documentado e assinado por todas as partes. 

Para solicitar renegociação, recomenda-se que seja preenchido o modelo de requerimento de renegociação de dívida, bem como uma declaração de situação de desemprego e perda de renda, modelos de uso disponível abaixo.

https://www.aeronautas.org.br/images/Requerimento_de_Renegociacao_de_Divida_Latam.pdf

https://www.aeronautas.org.br/images/Declaracaoo_de_Situacaoo_de_Desemprego_e_Ausencia_de_Renda.pdf

Quais são as possíveis formas de renegociação? 

  1. Transferência da dívida para outra instituição financeira (portabilidade de crédito imobiliário) 
    É uma hipótese de renegociação da dívida, pois seria possível migrar o saldo devedor para outro banco que ofereça uma taxa de juros menor. 
  2. Ampliação de prazo 
    É possível solicitar uma ampliação de prazo contratado para que o valor da oferta fique menor, proporcional ao prazo restante. 
    Deve-se atentar que exista um limite de prazo para cada modalidade. Se você já assinou seu financiamento no prazo máximo, não há como aumentar este prazo.
  3. Usar o FGTS para abatimento do saldo devedor ou antecipação de prestações.
  4. Suspensão das prestações:
    Alguns bancos disponibilizam o “congelamento” das prestações por determinado período de tempo. Neste caso, deve-se atentar ao custo dessa operação a longo prazo, tendo em vista que o crédito pode ser aumentado de forma substancial. 
  5. Seguro em caso de desemprego involuntário: 
    Avaliar junto a instituição bancária a existência de eventual seguro para hipótese de desemprego.

Orientação sobre ação revisional de alimentos.

O aeronauta que sofre desconto de percentual ou valor de pensão alimentícia em sua remuneração poderá ingressar com uma ação judicial chamada Ação Revisional de Alimentos para informar ao juízo a situação atual de desemprego, com a finalidade de obter a revisão (redução ou exoneração) da pensão.

Para possível ação revisional de alimentos será necessário procurar assistência judiciária gratuita ou advogado especializado, já munido dos seguintes documentos:

  1. RG ou outro documento de identificação com foto válido;
  2. CPF;
  3. Carteira da ANAC;
  4. Comprovante de renda (cópia do contracheque, benefício do INSS, declaração de isenção do IR ou declaração de IR);
  5. Todo e qualquer documento que demonstre a mudança de condição financeira que impossibilita o requerente de pagar o valor anteriormente fixado. (Exemplos: Cópia do comunicado de demissão emitido pela Latam (aviso prévio), extratos bancários, certidão de casamento, comprovantes de despesas com aluguel, dívidas, inscrição de nome no SPC, provas de que a outra parte detêm de condições financeiras favoráveis, se for o caso, etc;)
  6. Carteira de Trabalho. (São indispensáveis as seguintes páginas – folha de identificação (foto) frente e verso, folha de qualificação, folha do contrato de trabalho com a Latam e página seguinte em branco);
  7. Comprovante de residência. (Conta de água, luz ou telefone);
  8. Cópia da petição inicial do processo principal que trata da pensão alimentícia, ata de audiência e/ou acordo, e a sentença/decisão que homologou o valor dos alimentos, com o trânsito em julgado (se houver). Imprescindível apresentar o número do processo e a vara na qual tramitou o processo de alimentos. 
  9. Cópia do documento de identificação do alimentado (Se for menor de 18 anos, nome e documento do representante legal da criança/adolescente).
  10. Certidão de nascimento do alimentado.
  11. Comprovante de residência (conta de água, luz ou telefone) do alimentado (Se for menor de 18 anos, o comprovante deverá estar em nome do responsável legal).

Obs.: É importante ressaltar que se trata de lista meramente exemplificativa a fim de agilizar o atendimento. Podem ser requeridos outros documentos necessários de acordo com o entendimento do advogado designado em seu caso. 

Diante da vedação à captação de clientela, o SNA não está autorizado a prestar assessoria em demandas que não se relacionem diretamente às especificidades do labor e do contrato de trabalho do aeronauta.

Desta forma, o SNA orienta o aeronauta a procurar assistência judiciária gratuita na Defensoria Pública (instituição pública que presta assistência jurídica gratuita a quem não possa pagar por esse serviço) no local onde ajuizou a ação de alimentos ou contratar advogado especializado para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

Para esclarecimentos: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e WhatsApp 11 95375-0095.

Recolocação Profissional.

O SNA trabalhará para buscar a recolocação dos tripulantes da Latam no mercado de trabalho. 

Temos um longo histórico de roadshows e recrutamentos de comandantes, copilotos e comissários de voo para empresas aéreas de diversos países ao redor mundo.

Em 2019, com a crise da Avianca, trouxemos diversos destes eventos de companhias aéreas estrangeiras para o país. Conseguimos prioridade na contratação de ex-empregados da Avianca, na maioria delas. Pretendemos seguir nesta mesma linha com relação aos ex-empregados da Latam.

Dessa forma, assim que as medidas de bloqueio sanitário cessarem ao redor do planeta e a aviação civil retornar a níveis próximos dos pré-crise da covid-19, empresas em diversas regiões do globo devem reiniciar suas estratégias de expansão no mercado e, consequentemente, seus programas de contratação de tripulantes para suprir uma demanda que até o final do ano de 2019 era crescente, inclusive no Brasil.

É importante observar que o cenário do ano passado, em que chegamos a realizar roadshows semanalmente em nossa sede em São Paulo, era completamente diferente do vivenciado agora. Apesar de a maioria dos recrutamentos estrangeiros buscarem pilotos, conseguimos realizar alguns “Open Days” da Emirates Airlines, que contaram com a participação de 150 candidatos comissários por dia.

Vale destacar que, nos últimos anos, vem sendo criado um cenário regulatório mais favorável para o aporte de investimentos estrangeiros no setor e ao estabelecimento no Brasil de empresas aéreas com capital majoritariamente estrangeiro. Esta era uma tendência clara já para este ano, se não fosse a ocorrência desta pandemia. Muito provavelmente este cenário voltará, assim que o mercado se reestabelecer e a demanda crescer. Fato é que o Brasil possui uma demanda reprimida de passageiros, em comparação a diversos países. O potencial que a aviação civil tem no país é imenso.

Cabe ressaltar que nos processos de admissão de empregados para as funções privativas de aeronautas, após o recrutamento interno, as empresas darão preferência, em igualdade de condições, aos indicados pelo SNA e, para tanto, informarão as condições exigidas para a admissão.

Por fim, o sindicato manterá um banco de currículos atualizado do pessoal disponível em condição de atender à solicitação acima referida.

Os currículos atualizados deverão ser encaminhados para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Mais Artigos...